Cooperação na luta contra o crime organizado transnacional

Priscila Maria Werlang Soares, Lélia Júlia de Carvalho

Resumo


Devido ao processo de globalização a integração entre os países se tornou algo indispensável, pois essa aproximação possibilita maior influência no âmbito internacional, para tratar, dentre outros assuntos, sobre a segurança. Na mesma proporção que a globalização permitiu o desenvolvimento dos Estados, automaticamente, facilitou também o aprimoramento às Organizações criminosas. Diante dessa realidade, o processo de integração regional passou a ter mais um propósito: auxiliar na repressão ao crime organizado transnacional. Nesse contexto, a região Sul-americana seguiu essa tendência, como se infere ao observar o Tratado constitutivo da Unasul – União das Nações Sul-americanas. Nesse sentido, o objetivo do presente trabalho visa verificar, através de uma análise documental, qual a influência de atuações cooperadas, entre o Brasil e os demais países da Unasul, para a repressão do crime organizado transnacional. Concluindo que esta é, em especial, e de forma geral, uma atividade potencial para o combate ao mencionado crime internacional. Sendo assim, como resultado da pesquisa, pôde-se observar que diante de um crime organizado, especificamente transnacional, ou seja, que ultrapassa as fronteiras nacionais, a existência de uma atuação cooperada poderá auxiliar em seu combate de forma muito mais forte, eficaz e eficiente. Além disso, observou-se que o Brasil tem participado de muitos acordos com os países membros da Unasul para contribuir no combate, repressão e prevenção do presente crime, e dessa forma, apesar de algumas vulnerabilidades estatais, é possível perceber o esforço do país com o propósito de contribuir para o alcance desse objetivo da Unasul.

Palavras-chave


Cooperação; Crime organizado transnacional; Combate; Brasil; Unasul

Texto completo:

PDF PDF