Oficina de Música no contexto socioeducativo: trajetórias e cidadania

Edson Mendes da Silva

Resumo


O presente trabalho propõe discutir o atendimento socioeducativo a partir das vivências percebidas na Oficina de Música implementada na Unidade de Internação de São Sebastião, no Distrito Federal. A atividade em questão apresenta noções básicas de música aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa e ganha destaque ao demonstrar características que contradizem a prática socioeducativa país a fora. Atenta ao percurso social dos adolescentes, a metodologia aplicada às aulas, busca, além do aprendizado musical, a emancipação por meio da conscientização acerca dos seus direitos. Essa perspectiva implica pensar a socioeducação além dos muros da unidade, entendendo que as questões referentes ao cárcere no contexto da sociedade contemporânea estão enraizadas na construção social anterior à privação de liberdade. Nesse cenário, de acordo com o percurso desses jovens, compreendemos que o ambiente de exclusão e ausência de direitos vivenciado, principalmente, nas periferias dos grandes centros mostra-se critério assertivo na trajetória daqueles que hoje ocupam as prisões brasileiras. Assim, trazemos à centralidade do debate uma abordagem ampla acerca do encarceramento em massa no Brasil, assinalando o desafio e a importância em se perceber a cidade como espaço social de disputas simbólicas e territoriais refletidas no encarceramento. Por certo, o trabalho desenvolvido na Oficina de Música não finda as mazelas de décadas de exclusão, porém o grande trunfo dessa atividade reside em indicar uma direção valiosa à socioeducação ao demarcar a relevância da trajetória desses adolescentes como sujeitos socialmente inseridos, indicando que a resposta habita na compreensão desses jovens enquanto cidadãos.

Palavras-chave


Cidadania; Adolescência; Socioeducação; Direitos.

Texto completo:

PDF