A informalidade e a insegurança jurídica das relações trabalhistas em decorrência dos avanços tecnológicos provenientes da Indústria 4.0

Denise Bastos Moreira, Ana Carla Siqueira Silva

Resumo


A industrialização teve três grandes fases cada uma com suas proporções, ao chegar na quarta revolução industrial, depara-se com um modelo de revolução tecnológica, com significativos avanços na indústria com o usa da automação, robotização, inteligência artificial e Internet das Coisas. De certo que, os avanços tecnológicos não são os vilões da humanidade, porém, importante destacar as possíveis consequências negativas frente ao desemprego tecnológico oriundo da automação, com destaque ao trabalho na indústria 4.0, assim, diante dos avanços tecnológicos oriundos da indústria 4.0 e do surgimento da denominada Internet das Coisas, seriam as relações trabalhistas afetadas pela informalidade e a insegurança jurídica? Como objetivo, a presente pesquisa visa analisar que, diante dos avanços tecnológicos oriundos da indústria 4.0 e com o surgimento da denominada internet das coisas as relações trabalhistas acabam sendo afetadas pela informalidade de trabalho causando insegurança jurídica frente as relações e as normas trabalhistas. Nesta pesquisa os temas foram abordados pelo método descritivo colocando em foco os movimentos e as alterações causadas pelo tema. Para tanto, foi utilizado também os métodos históricos e monográficos para uma maior compreensão por meio de bibliografias e documentos. Conclua-se que o trabalho humano como forma essencial ao ser humano de manter-se e constituir sua dignidade, diante do respeito e do auxílio do Poder Público, das empresas e também a participação dos trabalhadores, neste tripé em busca de garantir a mão de obra valorizada diante das consequências da Indústria 4.0.

Palavras-chave


Indústria 4.0; Automação; Desemprego; Informalidade; Insegurança Jurídica.

Texto completo:

PDF