Preconceito e discriminação contra religiões de matriz africana no Distrito Federal

Luciana de Castro Alvares, Leonardo Laurindo da Silva

Resumo


A intolerância religiosa está intrinsecamente ligada à nossa história. Segundo a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (2016) existem inúmeros casos de discriminação religiosa, no Distrito Federal. Desde apedrejamentos, atear fogo em templos e outras no meio virtual. O objetivo desta pesquisa é analisar a intolerância religiosa contra adeptos de religiões de matriz africana no Distrito Federal e compreender como a intolerância religiosa é percebida e sentida por pessoas que frequentam os terreiros de candomblé, identificar a relação entre o racismo e intolerância. Percebe-se que o racismo e a discriminação que remontam a escravidão desde a colonização do Brasil, rotulam as religiões de matriz africanas por terem sua origem na África, em contrapartida os movimentos neopentecostais que nos últimos tempos se valem de mitos e preconceito, para assim insuflar a perseguição a umbandistas e candomblecistas.

 

Palavras chave: Intolerância religiosa; Casa de Santo; Discriminação; Racismo.


Texto completo:

PDF