A RECONSTRUÇÃO DOS VÍNCULOS AFETIVOS, FAMILIARES E COMUNITÁRIOS DE UMA EGRESSA DO PRESÍDIO FEMININO DO DISTRITO FEDERAL

Ediane Dias, Grazielle Silva, Débora Barros

Resumo


Este artigo, decorrente do trabalho de conclusão de curso de mesmo nome, analisa como se desenvolve o processo de (re) construção dos vínculos afetivos, familiares e comunitários de mulheres que estiveram em situação prisional no Distrito Federal. Justifica-se este estudo para entender os desafios postos a uma egressa do sistema prisional, na reconstrução de seus vínculos. A metodologia utilizada neste trabalho baseou-se numa abordagem exploratória a partir da pesquisa qualitativa. Nosso método de investigação consiste no estudo de caso de uma egressa do sistema prisional do Distrito Federal, moradora da cidade satélite Ceilândia/DF, no bairro da Expansão do Setor “O”. Para a fundamentação teórica da nossa análise utilizamos como referenciais teóricos: o materialismo histórico na perspectiva marxista, que parte das demandas reais existentes para formular idéias que transformem a realidade. Utilizamos também as elaborações de Michel Foucault, nas quais encontramos a evolução histórica da legislação penal e os respectivos métodos coercitivos e punitivos utilizados na repressão da delinqüência, dentro do contexto institucional do presídio. Também nos servimos do pensamento de John Bowlby que discorre sobre a capacidade do indivíduo de estabelecer vínculos afetivos. Os resultados das análises demonstram que a egressa enfrentou dificuldades na (re)construção dos vínculos afetivos, familiares e comunitários, ao mesmo tempo em que percebemos que, se houver apoio da família durante o período em que a pessoa está sob confinamento em estabelecimento prisional, os problemas tendem a ser menos significativos na (re)construção dos vínculos.

Palavras-chave: vínculo familiar, egressas, estabelecimento prisional.


Palavras-chave


vínculo familiar, egressas, estabelecimento prisional.

Texto completo:

PDF