A Sabedoria, a ignorância e a capacidade: problemas da legitimidade democrática

Cleuber Castro De Souza

Resumo


O artigo é resultado do esforço para responder a uma das propostas clássicas formuladas no campo dos estudos em Filosofia e Teoria do Direito, em que se questiona os ideais de sabedoria, ignorância e capacidade (capacidade com o sentido de conhecimento). Tais valores, especialmente a sabedoria e a capacidade, são entendidos, na maioria das vezes, como qualidades indispensáveis para que os governantes possam desempenhar as suas atribuições na arte do bom governo. O problema a ser tratado abrange as seguintes questões: O governante deve expressar o ideal de sábio? Como qualificar alguém como sábio ou ignorante? Todos são capazes de alcançar a condição de sábio? No texto serão discutidos os sistemas eleitorais como ritos de legitimação democrática. Por fim, o trabalho não apresenta uma resposta pontual e certeira, pelo contrário, assume que no âmbito da Filosofia do Direito existe uma multiplicidade de respostas possíveis para um questionamento apenas. De modo que, tanto quanto maior seja o conhecimento, também poderá ser, na mesma medida, a douta ignorância.


Texto completo:

PDF