Os (des) caminhos do currículo e as políticas de avaliação: uma revisão teórica.

ANA LUIZA FERNANDES MENDES

Resumo


Este artigo faz um revisão teórica sobre as consequências das políticas de avaliação educacionais nos currículos escolares, indicando os seus (des)caminhos para o estreitamento e engessamento curricular. Os conceitos de estreitamento e engessamento curricular foram cunhados por Luiz Carlos Freitas. O papel do Estado regulador nas instituições de ensino, seja na educação básica ou superior, vem sendo discutido por diversos autores. O trabalho está estruturado em três seções, iniciadas por um panorama histórico crítico das políticas de avaliação, pautadas na regulação, como tentativa de qualificar a educação no país. Segue-se a uma análise conceitual que permeia o campo do currículo e destaca a importância de um constructo flexível e diversificado. Ato contínuo se faz um exame das concepções de diferentes autores sobre essa relação, currículo e seus (des) caminhos. Ao final, busca-se a construção de algumas considerações finais que versam sobre a importância do trabalho pedagógico para a garantia de um currículo emancipador.


Palavras-chave


Currículo. Políticas educacionais. Engessamento curricular.

Texto completo:

PDF