Políticas públicas para a educação inclusiva: quando o legal não é especial!

Karem Kolarik Kolarik Kolarik, Helio Fabeliano Lobato Cunha, Orlando Cassaro Vilela Gomes Vilela Gomes

Resumo


O presente artigo tratou de identificar e analisar as Políticas Públicas destinadas a Educação Inclusiva. Para tanto, utilizou-se à pesquisa exploratória para coletar as informações junto aos legisladores. Os documentos identificados como inclusivos são: os Pareceres do CNE/CEB n° 17/2001 e n° 4/2002, a Declaração de Salamanca, a Resolução do CNE/CEB nº 2/2002, e os Parâmetros Curriculares Nacionais: Adaptações Curriculares-Estratégias para os alunos com deficiência. Para tanto, utilizou a pesquisa qualitativa e exploratória para obter informações sobre o assunto estudado, a fim de facilitar a delimitação do tema da pesquisa. Para o desenvolvimento da pesquisa foi escolhida a abordagem qualitativa que abordou o problema da pesquisa com análise das categorias analíticas do método. Os resultados apontaram três fatores importantes: confusão teórica entre os modelos de integração para educação especial, preconceito na escola em relação às pessoas com necessidades especiais e a contraposição entre a estrutura da Educação Básica e o da Educação Especial.


Palavras-chave


Políticas Públicas; Educação Especial; Neoliberalismo; Educação Básica;. Integração.

Texto completo:

PDF