Comparação de forças transversais analíticas do vento em modelo padronizado de edifício alto CAARC

Matheus Nunes Reis, Patricia Cristina Cunha Nunes, José Luis Vital de Brito

Resumo


A ação dos ventos é o motivo de muitos colapsos e/ou danos causados nas estruturas, sobretudo em coberturas leves, estruturas de vedação, seja por efeitos estáticos ou dinâmicos. Essas forças tendem a excitar a estrutura com oscilações nas direções em que suas componentes atuam. Entretanto, importante ressaltar que as forças longitudinais são bastante baixas quando comparadas com as forças transversais resultantes. Dentre os diversos impactos gerados nas estruturas, como fadiga, esforços e deformações, pode-se citar o efeito dinâmico chamado desprendimento de vórtices, grande originador de forças transversais em relação à direção do vento em estruturas. Neste trabalho, são comparadas forças transversais dinâmicas de edifícios altos prismáticos de seção retangular. Estas forças são determinadas pelos processos das normas do Brasil (NBR 6123 1988), da Austrália/Nova Zelândia (AS-NZS 1170-2), do Japão (AIJ 2004), da China (CNS 2012) e por meio do procedimento analítico desenvolvido por Liang et al. (2002). Os resultados utilizados para comparação das duas últimas normas citadas e do método analítico citado foram determinados no estudo de Araghi (2019). A ideia principal das comparações é de averiguar o quão próximo estão os valores determinados em normas em relação ao processo analítico sugerido. As soluções provaram que os resultados normativos demonstraram conformidade entre si e com o analítico, podendo então ser aplicado seguramente. Para dimensionamento em projetos de até médio porte, pode-se adotar o que for melhor para a região em questão. Recomenda-se realizar ensaios em túnel de vento para se obter resultados mais precisos no caso de projetos mais sofisticados.


Palavras-chave


Análise Dinâmica; Força Transversal de Vento; CAARC; NBR 6123; AS-NZS 1170-2

Texto completo:

PDF