Utilização de smartphones por idosos durante o distanciamento físico causado pelo covid-19

Mario Sergio Rocha, Priscila Larcher Longo, José Maria Montiel

Resumo


O envelhecimento é um processo inexorável de mudanças e declínios que integra a vida humana. O Brasil, assim como grande parte dos países têm apresentado mudança demográfica com crescimento exponencial da população idosa. Os sinais de que a pessoa está envelhecendo podem ser observados tanto na aparência quanto em funções como audição, visão, fala, cognição e memória. Como a característica do ser humano é a vida em sociedade, a comunicação possui papel primordial nas relações e nos últimos anos a Tecnologia Digital da Informação e Comunicação passou a fazer parte da vida da maior parte das pessoas, incluindo os idosos. A tecnologia está presente em objetos tecnológicos como celulares, smartphones, notebooks, aplicativos, site e redes sociais, porém, muitos idosos ainda apresentam dificuldades em sua utilização. No início de 2020 a pandemia de COVID-19 fez com que os governos do mundo todo decretassem distanciamento social para evitar novas contaminações, o que modificou as atividades diárias de todos. Este estudo teve como objetivo descrever como os idosos utilizavam smartphones antes da pandemia e se essa utilização foi alterada durante o período de distanciamento físico decorrente da situação de pandemia. Foram incluídos 101 participantes de ambos os sexos. 39 foram excluídos e os 62 participantes restantes apresentavam idade média de 68 anos e eram em sua maioria mulheres. Dos participantes a idade média observada foi de 68 anos. A maioria era casado, com rendimento de quatro salários mínimos e com formação escolar de nível superior. A maior parte afirmou apresentar problemas de visão e boa qualidade de sono, além de utilizar de dois a quatro medicamentos por dia. Foi possível observar que a maior parte dos participantes utiliza o smartphone de forma multifuncional (telefone, despertador, entre outros) e também com as funções de jogos e localizador de GPS. A maioria também afirmou que já utilizavam o smartphone antes da pandemia em relação a acesso a bancos e redes sociais. Os resultados mostram que os participantes do presente estudo já utilizavam smartphones, aplicativos de bancos, sociais e mensagens antes da pandemia e que essa utilização aumentou durante a pandemia.

Palavras-chave


Comunicação; Envelhecimento; Pandemia; Tecnologia Digital.

Texto completo:

PDF