Autismo: Interfaces da TI quebrando paradigmas

Rogério Oliveira da Silva, Edson Borges dos Santos, Elison Martins de Souza, Wellen Borges Nunes

Resumo


Neste artigo propomos levar o conhecimento e veicular informação a respeito do Transtorno de Espectro Autista e Inteligência Artificial. Com base, nas principais metodologias de análise comportamental, sugeridas pela psiquiatra infantil Dra. Rosa Horita, que são as metodologias ABA e TEACCH, aplicadas a ciência da inteligência artificial, capazes de entender e produzir entidades inteligentes. Utilizando linguagens e ferramentas de programação específicas e com o auxílio de uma equipe de especialista, tanto em comportamentos neuroatipico, quanto em tecnologia.

Como proposta de solução, será apresentada a criação de um game customizável, capaz de interagir com o neuroatipico de forma inteligente e desestigmatizada. Propor de forma divertida a interação social, cognitiva, pessoal e didática. Sugerindo que o game seja trabalhado em conjunto com os demais tratamentos pertinentes, para um melhor aproveitamento.


Palavras-chave


Autismo; Inteligência Artificial; Tecnologia; Interfaces; Jogo

Texto completo:

PDF