FRAMES SOBRE A ESCRAVIDÃO AFRICANA: ANÁLISE DO TRATADO BAKT DE 651 A PARTIR DA HISTÓRIA E IMAGEM

Claudia Pinheiro Nascimento, Paulo Gabriel Rodrigues do Nascimento Rodrigues

Resumo


A escravidão na África ainda detém lacunas a serem preenchidas. Muitos acreditam que o processo de escravidão só começou com a colonização europeia no continente. Contudo, o que ainda poucos tem conhecimento é de que outros povos haviam institucionalizado essa terrível prática em solo africano. O vigente artigo visará abordar o comércio de escravos dentre as principais civilizações antigas, dando destaque para o mercado árabe muçulmano de escravos negros africanos em função do tratado de paz Bakt de 651no reino da Núbia no medievo africano. O trabalho se respaldará nos conceitos de História Cultural, História e Imagem, bem como os fundamentos curriculares presentes na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN). Foram inseridas algumas imagens julgadas de relevância com o tema, que foram analisadas através da metodologia da iconografia. Através desse trabalho, foi possível ver que o comércio transaariano foi de extrema importância para a sustentação da economia dos povos do Norte e Leste da África O assunto tem a sua relevância, por ser um assunto ainda pouco abordado em sala de aula e que possibilita os estudantes conhecerem mais sobre a escravidão árabe-muçulmana. Por fim, o artigo concluirá trazendo uma proposta pedagógica com o intuito de inserir alunos do 1º ano do Ensino Médio na temática da escravidão árabe-muçulmana na África. 

 


Texto completo:

PDF